Construção 2

A construtora Trisul (TRIS3) realizará oferta primária de ações. A operação prevê inicialmente a distribuição de 30 milhões de ações ordinárias da companhia. Em caso de excesso de demanda e a critério da empresa, poderão ser emitidas até 10,5 milhões de papéis adicionais. 

A oferta primária de ações acontece quando a empresa emite novas ações com o objetivo de captar recursos no mercado. O montante pode ser utilizado em planos de expansão, amortização de dívidas, aquisições ou outras finalidades. 

No caso da Trisul, que tem uma dívida pequena e de baixo custo, o caixa obtido deve ser utilizado para a compra de novos terrenos e investimento em novas obras. Portanto, é esperado que a receita da empresa cresça nos próximos trimestres.

A questão principal que o investidor deve ser perguntar é: a Trisul conseguirá manter as ótimas margens atuais construindo mais?

Se a resposta for sim, a oferta primária deve ter efeito positivo para os atuais acionistas da empresa.

Qual é a sua opinião?

Veja também:

Construção civil – uma análise de múltiplos

KB Investimentos entrevista o diretor financeiro da Trisul, Fernando Salomão

Resultado do terceiro trimestre de 2019 da Trisul

Anúncios

2 pensamentos

  1. Se a oferta ocorrer pela quantidade máxima, significará uma diluição de aproximadamente 28% na participação acionária, valor significativo. Esperamos que o crescimento da empresa justifique essa diluição. Eztec também anunciou hoje que fará oferta primária de ações, uma tendência no setor.

    1. Oi Marcio,

      Como pode entrar mais de R$ 400 milhões no caixa da empresa, se os novos empreendimentos tiverem as margens de lucro atuais, o resultado final para o atual acionista deve ser bom.
      Estamos na temporada de follow ons das construtora. Muitas estão aproveitando o bom momento do setor para emitir ações.

      Abraço.

Deixe uma resposta