A Unipar Carbocloro alcançou R$ 528 milhões de lucro no ano passado – o que representa um aumento de 74,5% em relação a 2017. O resultado ainda chama a atenção para a trajetória de queda da dívida da empresa.

Parte do débito da companhia é resultado da compra da Indupa – segunda maior fabricante de PVC da América Latina – em 2016. O negócio alavancou a capacidade de geração de resultados da Unipar, como fica claro no gráfico de lucro bruto da empresa:

Unipar - lucros.png

Após a aquisição, o resultado bruto da fabricante de produtos químicos mais do que triplicou. Mas será que todo este potencial se transformou em lucro operacional e líquido para a Unipar?

A julgar pelos números, parece que ainda não.

As demonstrações financeiras da companhia separam o resultado atribuído somente à controladora Unipar, dona da planta de Cubatão, responsável por metade da produção de cloro e soda cáustica. Já o resultado consolidado considera também a Indupa, produtora da outra metade desses dois produtos, além de todo o PVC.

Em torno de um terço da receita líquida consolidada é proveniente da controladora. Contudo, a planta de Cubatão é responsável por 80% do EBITDA e 97% do lucro líquido da holding.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No cenário atual, podemos dizer que a Unipar e sua planta Cubatão carregam a Indupa e suas duas fábricas. Este pode ser um bom sinal de que ainda há bastante espaço para melhoras de margens e lucros para a holding Unipar Carbocloro.

Outro indicador bastante positivo é a evolução da dívida da companhia. Por conta da aquisição da Indupa, o endividamento líquido atingiu R$ 438,6 milhões no final de 2017. Desde então, este valor vem caindo trimestre a trimestre e hoje representa apenas um sexto do EBITDA da companhia – R$ 166,4 milhões.  

Com a quitação da dívida, a questão discutida no texto Os próximos passos da Unipar” volta à tona: crescer ou distribuir?

Anúncios

18 pensamentos

    1. Oi Arthur,

      O resultado do primeiro trimestre da Unipar for inegavelmente ruim. O preço dos produtos vendidos caiu e o dos produtos usados como insumos na produção subiu.
      Tá certo que parte da queda de 65% no lucro liquido se deve ao um lucro não recorrente no ano passado por conta da aquisição da Indupa. Não fosse isso, a queda seria menor.
      O lado bom foi que a dívida líquida continua caindo, como mencionado neste texto.
      Na minha opinião, o segundo trimestre ainda deve apresentar resultado fraco, mas a este preço atual a ação ainda oferece boa margem de segurança aos investidores.

      Abraço.

      Curtir

      1. Fala KB,

        Concorda que não há motivo para pânico?

        Tudo que podia acontecer de ruim e não recorrente ocorreu nesse trimestre (e mesmo assim tivemos lucro) e algumas coisas devem impactar no próximo, porém, não vejo grande motivo para pânico. Tivemos:

        Queda na capacidade instalada em santo andré (afetou prod de PVC)

        Queda no preço da Soda (causada pela Alunorte operando á só 50%)

        Entre outras coisas.

        Alunorte já foi autorizada á operar á 100% (falta a burocracia liberar) e a questão da queda na capacidade instalada deve melhorar já na metade do ano (parece que estão modernizando / arrumando algumas coisas na planta.

        Abraço!

        Curtir

        1. Oi GCN,

          Concordo plenamente. Tivemos praticamente a tempestade perfeita neste trimestre e, mesmo assim, a Unipar lucrou mais de R$ 50 milhões.
          A minha expectativa é que o resultado do segundo trimestre já melhore com a Alunorte voltando a operar com a capacidade total.
          Por conta dos seus preços serem cotados no mercado internacional, é natural que o resultado varie nos trimestres, mas acredito que a companhia segue com uma boa relação risco/retorno potencial.

          Abraço!

          Curtir

  1. Como vai, td bem?
    Sei que vc não pode divulgar sua carteira por correr o risco de uma punição.
    No site da CVM, que concentra várias informações sobre fundos, a carteira completa de todos fica visível depois de 3 meses.
    Talvez, vc possa divulgar sua carteira com 3 meses de atraso sem que haja problemas. Pois a própria CVM faz isso com os fundos.
    Obrigado pela atenção e parabéns pelo trabalho.

    Curtir

    1. Oi Adão, tudo certo,

      Prefiro continuar sem divulgar a carteira para evitar qualquer possível problema. Acho que a informação de três meses atrás pode acabar sendo ruim porque posso já até ter vendido alguma ação divulgada.
      Mas em breve devo retomar o ritmo dos textos no site.
      A Unipar, por sinal, deve ser tema por causa do resultado divulgado ontem.
      Apesar do trimestre muito ruim, considero que a empresa não está cara.

      Abraço.

      Curtir

        1. Também acho possível que o segundo trimestre tenha um resultado fraco Rodolfo.

          Só acho muito difícil estimar até onde pode cair o preço da ação.
          Até porque a companhia anunciou, junto com o resultado, uma extensão do programa de recompra de ações que deve ajudar a segurar a queda.

          Abraço.

          Curtir

    1. Sem dúvidas Gil.
      O preço internacional da soda influencia bastante nos resultados.
      No caso do dólar, o efeito líquido é menor porque a empresa também tem dívida na moeda norte americana. Então, uma queda do dólar diminui a receita, mas também diminui a dívida. O contrário também é verdadeiro.

      Abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s