sala de cinema Unipar

Parecia enredo de filme a saga da Unipar Carbocloro para fechar o capital. Faltando poucas horas para o então aguardado leilão da OPA (Oferta Pública de Aquisição), a fabricante de soda, cloro e derivados divulgou que vendeu sua fatia de 17,8% no capital da Tecsis Tecnologia e Sistema Avançado.

O anúncio da Unipar – feito durante a madrugada – fez com que a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) suspendesse a OPA “tendo em vista as condições extraordinárias em que se encontra a oferta e as incertezas que a realização do leilão nesta data traria às partes envolvidas na operação”.  A Vila Velha Participações, controladora da Unipar, ainda deverá encaminhar à CVM os detalhes da transação envolvendo a Tecsis.

O edital da oferta determina que durante a OPA não pode haver mudanças nos negócios da empresa que represente 5% ou mais do seu lucro do ano passado. No entanto, a venda da Tecsis teria superado esse montante de acordo com a Vila Velha. Sendo assim, a Comissão de Valores Mobiliários suspendeu a oferta até que a fabricante de soda encaminhe todas as respostas sobre o impacto que essa transação provocou. O prazo encerra-se nesta quarta-feira (2). 

Já nesta segunda-feira (31), a controladora da Unipar encaminhou um documento à CVM sobre sua intenção de revogar a OPA. 

Essa não é a primeira vez que a Unipar Carbocloro tenta fechar o capital. Em 2015, a oferta da companhia foi de R$ 4,40 por ação preferencial classe B (UNIP6) e no ano seguinte de R$ 7,50 pelo mesmo papel. Desta vez, a companhia teve a “coragem” de oferecer R$ 2,50. Ficou com vergonha?

Pois é, nós também!

Não à toa, nos habilitamos para o leilão e oferecemos R$ 25 por UNIP6 para vendê-las.

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos!

Anúncios

9 pensamentos

  1. Oi KB, muito bom o conteúdo do site!
    Eu gostaria de saber mais sobre essa OPA, por conta da possível OPA da Cristal Pigmentos.
    Deixa eu ver se entendi direito: No caso da Unipar, a OPA foi aprovada por 2/3 dos minoritários e foi apresentado o valuation feito pelo banco contratado.
    Depois disso, a OPA prosseguiu para o leilão, quando foi oferecido o preço X por ação. Porém, poucos aceitaram o preço oferecido e a Unipar não conseguiu fechar o capital. A regra dos 2/3 continua valendo? Como funciona essa dinâmica?
    Muito obrigado desde já

    1. Oi Investidor CRPG5,

      No caso da Unipar, o controlador decidiu unilateralmente realizar uma OPA com o objetivo de fechar o capital. Para que ele tivesse sucesso, era necessário que ao menos 2/3 dos acionistas votassem a favor da proposta.
      Como o Luis Barsi, alguns fundos e outros minoritários, como o KB, votaram contra, a OPA para fechar o capital não ocorreu.
      Esta regra continua válida para OPA de fechamento de capital.

      No caso específico da Cristal, a OPA anunciada recentemente ocorre sempre nos casos de mudança de controle da companhia.
      O artigo 254-A da lei 6.404/76, a Lei de Sociedade por Ações, obriga o comprador do controle da companhia a fazer um OPA ofertando aos donos de ações ordinárias ao menos 80% do valor por ação pago ao bloco de controle.
      Ou seja, ainda não foi apresentada OPA para fechar o capital da Cristal.

      Abraço.

  2. Belos dividendos pintando no home broker! Eu autorizei vender somente a 30 reais… enquanto depender de mim, terão que subir esse valor da oferta… é guerra (no bom sentido!)!

  3. Olá KB,

    Eu estava confiante nesse desfecho. Sigo firme com UNIP6 na carteira e talvez aproveite a baixa momentânea do ex-proventos para ampliar a posição.

    Estou no aguardo da atualização da carteira KB, creio que trará resultados significativos em julho!

    Abraço do DM!

    1. Oi DM,

      Também estava confiante que nesse preço tão abaixo do preço de mercado não sairia de jeito nenhum.
      Amanhã já publico a Carteira KB de julho. Mesmo com a Unipar ficando “ex” de um dividendo tão grande ainda foi possível bater o ibovespa por pouco.

      Abraço.

Deixe uma resposta