Mercado mantém projeções para juros em meio à crise política

focus-29-05-17.png

A expectativa do mercado – divulgada nesta segunda-feira (29) no relatório Focus  –  se manteve, com queda de 1% na Selic. As apostas em um corte mais agressivo nos juros vinham aumentando por conta das projeções da inflação e do fraco desempenho da atividade econômica.

No entanto,  a crise política – gerada após as denúncias dos executivos da JBS de que o presidente Michel Temer teria dado aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha – acabou com as esperanças de uma redução maior.

Vamos ter que aguardar até quarta-feira (31) para ver o que o Banco Central decidirá sobre a Selic. Será que tomará a decisão pensando que as reformas – trabalhista e da previdência – serão aprovadas? Michel Temer continuará no poder? A chapa Dilma-Temer será cassada? Muitas perguntas para poucas respostas!

 Inflação 

As projeções para IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), utilizado como parâmetro para as decisões de taxa de juros do Banco Central, sofreram leve redução no mês – de 4,03% para 3,95%. 

O mesmo não podemos dizer sobre o IGPM (Índice Geral Preços do Mercado) – o indicador serve como referência para reajustar os contratos de aluguéis. O índice segue a trajetória de queda vertiginosa apontada no mês passado – saindo de 2,71% para 2,14%. 

 Dólar e PIB

Apesar do estouro da crise e da disparada do dólar, as projeções se mantiveram praticamente estáveis. A previsão é que a moeda americana termine o ano valendo  R$3,25.

Na mesma direção, o PIB (Produto Interno Bruto) esperado teve pequena alta – de 0,46% para 0,49%. Vale lembrar que nesta quinta-feira (1º) será divulgado o PIB do primeiro trimestre. O número deve ser levemente positivo, mostrando que, enfim, saímos da maior recessão da história do país. 

Anúncios

4 comentários sobre “Mercado mantém projeções para juros em meio à crise política

  1. Daniel 30 de maio de 2017 / 21:07

    Acredito que os investidores estão cautelosos aguardando o desenrolar das próximas decisões do COPOM e do andar das reformas. Vou ficar de olho no IVVB11, graças a você eu pude conhecer um pouco melhor como funciona esta ETF. Talvez seja interessante pensar em encarteirar uma pequena porcentagem, caso as coisas desandem, juntamente com BOVA11, sempre fazendo um bom hedge. Parabéns pelo seu conteúdo, amigo. Grande abraço!

    Curtir

    • KB Investimentos 30 de maio de 2017 / 21:37

      Esse próximo COPOM será um dos mais incertos do últimos meses. Há quem diga que ele pode reduzir em mais de 1% por conta da inflação despencando e também há quem ache que ele pode reduzir até menos que 1% com medo do cenário político incerto para a aprovação das reformas.
      Obrigado pelo elogio Daniel!

      Abraço.

      Curtir

  2. Janota Investidor 30 de maio de 2017 / 18:10

    Os fundamentos econômicos estão muito sensíveis ao cenário político nada promissor.
    Os comprados em juros (tesouro direto pré e ipca+) precisam pensar bem os riscos que estão no fronte.
    Excelente post!

    Curtir

    • KB Investimentos 30 de maio de 2017 / 21:34

      Concordo Janota.
      O downside para os comprados em juros é maior do que o upside. Ainda tem muita incerteza no cenário político.
      Obrigado pelo elogio!

      Abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s